2012 - 2013

Evolução do IMC nos alunos do 2º CEB

Porque foi com a recolha de dados relativos aos alunos que frequentavam o 2º CEB - Ciclo do Ensino Básico - na Escola Básica e Secundária de Ourém, que iniciámos este projeto, têm sido estes os dados referência para determinação da evolução do percentil de IMC ao longo do período de implementação do projeto.

É com enorme agrado que a equipa do Projecto Bichinho da Fruta constata que, após dois anos de intervenção os valores referência desceram de 32, 30% de alunos com excesso de peso, onde se incluíam 16,76% de alunos obesos em 2009-2010 para valores de 25,28% de alunos com excesso de peso, entre os quais 12,6 obesos como se pode constatar pelo gráfico.

 

Esta evolução, extremamente positiva, deve-se em grande parte à excelente e dedicada colaboração prestada pelos Educadores de Infância e Professores do 1º CEB das escolas que integram o AEO - Agrupamento de Escolas Ourém no desenvolvimento não só das atividades propostas pela equipa do Projecto Bichinho da Fruta mas na implementação de atividades diversificadas por eles criadas tendo em vista a promoção de hábitos de alimentares e de atividade física saudáveis. De ressalvar também o importante papel desempenhado pelos pais e encarregados de educação na sensibilização dos seus educandos para a problemática da obesidade infantil, auxiliando-nos a combater aquela que é já identificada pela Organização Mundial de Saúde como a epidemia do século XXI.

2011 - 2012

Avaliação Nutricional da população escolar

Esta avaliação é feita anualmente a todos os alunos que frequentam os jardins e escolas do 1º CEB do agrupamento e a todos os alunos que frequentam os 2º e 3º CEB, ensino secundário e profissional da escola sede do Agrupamento de Escolas Ourém (AEO), pela equipa do Projecto Bichinho da Fruta em colaboração com os professores: Paulo Durão, Sérgio Serrano, Rodrigo Durão, Helena Serafim e Inês MArques do Grupo Disciplinar de Educação Física.

No presente ano letivo avaliámos os 2119 dos 2211 alunos do agrupamento distribuídos pelos diferentes níveis de ensino, o que corresponde a 96,06% da totalidade de alunos matriculados no agrupamento.

Os alunos não avaliados são aqueles que no dia em que a equipa se deslocou aos jardins infantis e escolas do 1º CEB que integram o agrupamento não estavam presentes.

No caso dos alunos que frequentam o Ensino Secundário não foram avaliados os que não se encontram matriculados na disciplina de Educação Física no corrente ano letivo.

Da análise efetuada aos dados recolhidos  - altura, peso, data de nascimento e género - concluimos que o número de alunos que se enquadram nas diferentes categorias da avaliação nutricional - baixo peso, normoponderal, pré-obesidade e obesidade - por escalão e género mantém valores próximos aos obtidos no ano letivo anterior, tal como se pode constatar pelos gráficos apresentados.

 

 

Pré-escolar

Foram avaliados 342 dos 373 alunos matriculados.

1º CEB

Avaliámos 784 dos 823 alunos matriculados neste nível de ensino.

2º CEB

Foi feita a avaliação à totalidade dos alunos matriculados neste nível de ensino, 159 alunos.

3º CEB

Avaliámos a totalidade dos alunos matriculados, 248.

Ensino Secundário

Foram avaliados 408 dos 425 alunos matriculados neste nível de escolaridade.

Ensino Profissional

Foi feita a avaliação da totalidade dos alunos matriculados neste nível de ensino, 183 alunos.

Total de alunos do Agrupamento

2010 - 2011

Avaliação nutricional da população escolar

Resultados

Após a recolha dos dados necessários à avaliação do estado nutricional dos alunos que frequentam os diversos estabelecimentos de ensino que integram o Agrupamento de Escolas Ourém podemos apresentar os resultados encontrados em cada nível de ensino.

Achamos por bem salientar alguns constrangimentos encontrados para proceder à recolha de dados:

- Para minimizar o erro de avaliador tentámos reduzir ao mínimo o número de intervenientes no processo de recolha de dados tendo esta sido feita permanentemente por três professores auxiliados por mais seis professores e a dietista.

- Devido aos nossos horários escolares só nos pudémos deslocar aos diferentes estabelecimentos de ensino no período da tarde, tendo optado por seleccionar os dias da semana em que os alunos se encontrariam em actividades de enriquecimento curricular para perturbar no mínimo as actividades lectivas.

- Por questões de economia de esforços tentámos, sempre que possível, deslocarnos ao jardim de infância e escola do 1º ciclo de uma mesma localidade no mesmo dia.

- A não autorização de encarregados de educação para a participação dos respectivos educandos no estudo.

- A ausência não planeada de alguns alunos às actividades lectivas no dia da recolha de dados.

- A hora da sesta de alguns alunos de 3 anos no horário em que nos foi possível proceder à recolha de dados.

- A ausência, por não estar inscrito nas actividades de enriquecimento curricular, no horário em que nos foi possível proceder à recolha de dados.

- No caso dos alunos dos 2º e 3º ciclos do ensino básico e alunos do ensino secundário só foram considerados para o estudo os alunos matriculados na disciplina de Educação Física, uma vez que esta avaliação é parte integrante da disciplina e foi nestas aulas que foi efectuada a recolha de dados. É de referir que os alunos que manifestaram uma opinião contrária a esta avaliação foram dela dispensados.

Tendo em consideração os constrangimentos referidos pudémos avaliar 92,59% da população do agrupamento num total de 1737 indivíduos (802 do sexo masculino e 935 do sexo feminino).

No ensino Pré-escolar procedemos à recolha de dados referentes a 142 alunos do sexo masculino e 160 do sexo feminino. Os alunos avaliados correspondem a 87,03% da população matriculada. Dos dados recolhidos podemos constatar que 18,54% da população apresenta excesso de peso.

Avaliámos o estado nutricional de 95,24% da população matriculada nas escolas do 1º ciclo do ensino básico que integram o agrupamento a que correspondem 377 indivíduos do sexo masculino e 404 do sexo feminino. De entre os indivíduos avaliados pudémos constatar que 31,88% apresentam excesso de peso.

Procedemos à avaliação de um total de 143 alunos (67 do sexo masculino e 76 do sexo feminino) correspondente a 94,08% da população matriculada neste nível de ensino.

Da análise efectuada podemos verificar que 30,07% dos indivíduos apesentam excesso de peso.

Avaliada 92,11% da população matriculada neste nível de ensino correspondente a 51 elementos do sexo masculino e 89 do sexo feminino, podemos observar que 27,14% desta população apresentam excesso de peso.

Foram avaliados 371 indivíduos ( 165 do sexo masculino e 206 do sexo feminino), correspondendo a 91,60% dos alunos matriculados na disciplina de Educação Física. Dos resultados encontrados podemos verificar que 15,90% apresentam excesso de peso.

Da análise do gráfico correspondente à população global - sexo masculino - podemos verificar que no que se refere ao baixo peso ele diminui drásticamente do ensino pré-escolar onde apresenta um valor de 9,15% para 2,39 referente ao 1º ciclo, mantendo-se depois em valores muito baixos nos restantes níveis de ensino (0; 1,96 e 1,89%).

No que respeita ao excesso de peso (pré-obesidade+obesidade) os valores variam de um nível de ensino para o seguinte num constante sobe e desce de 17,61% no pré-escolar subindo para 35,01 no 1º ciclo, descendo para valores de 19,40% no 2º ciclo, subindo novamente para 29,41% no 3º ciclo e mais uma vez descendo para 16,04% no ensino secundário.

Fazendo uma leitura do gráfico correspondente à população global do agrupamento - sexo feminino - podemos constatar que no que respeita ao baixo-peso os valores encontrados reduzem drásticamente de 3,75% no ensino pré-escolar para 1,24% no 1º ciclo do ensino básico, mantendo-se depois, a exemplo do verificado no sexo masculino, em valores muito baixos de 0% nos 2º e 3º ciclos e regressando a valores de 1,24% no ensino secundário.

No que refere ao excesso de peso podemos verificar que este se mantém numa curva ascendente do pré-escolar onde apresenta valores de 19,38%, até atingir os 39,48% no 2º ciclo (passando por 28,96% no 1º ciclo), diminuindo depois de forma significativa nos restantes níveis de ensino onde podemos encontrar valores na ordem dos 25,85% no 3º ciclo e 13,67% no ensino secundário.

Globalmente verificamos que 25,62% da população escolar apresenta excesso de peso, um valor inferior aos valores médios nacionais que rondam os 30% da população infantil  e juvenil.

Como se calcula o IMC?

Cálculo de IMC

 

O Índice de Massa Corporal (IMC) permite calcular a relação entre o peso e altura. Através do cálculo de IMC, é assim possível saber se apresentamos um peso considerado superior ou inferior relativamente à nossa estatura.*

 

 

Como Calcular o IMC?

Calcular IMC requer a aplicação de uma fórmula que tem em consideração  o peso e altura.

 

IMC = Peso (Kg)/altura (m)2


Valores -- Classificação (apenas para adultos)

< 18.5 – Baixo Peso

18.5 a 24.9 -- Normoponderal (peso ajustado à altura)

25 a 30 -- Pré-obesidade

30 a 35 -- Obesidade Grau I

35 a 40 -- Obesidade Grau II

> 40 -- Obesidade Grau III

 

NOTA IMPORTANTE:

a) Se apresentar um resultado caracterizado como baixo peso, pré-obesidade ou obesidade, é aconselhavel que consulte o seu Dietista.

b) Se apresentar um resultado caracterizado como Normoponderal, parabéns, contudo não se esqueça que uma alimentação adequada e exercício físico são essenciais tanto na manutenção da saúde como do seu peso.

 

** No caso de crianças e adolescentes, a classificação do estado nutricional (do peso) deve ser feita com a observação posterior das tabelas de percentis, e não apenas com o IMC.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Curva de percentil para o Índice de Massa Corporal de raparigas entre os 2 e os 20 anos de idade.

 

Fonte: Saúde Infantil e Juvenil, Programa-tipo de actuação. Orientações técnicas da Direcção-Geral de Saúde

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Curva de percentil para o Índice de Massa Corporal de rapazes entre os 2 e os 20 anos de idade.

 

Fonte: Saúde Infantil e Juvenil, Programa-tipo de actuação. Orientações técnicas da Direcção-Geral de Saúde

Como se avalia?

Fase 1 - Registo dos dados biográficos de cada aluno.

São registados o nome da escola, turma, nome do aluno e respectiva data de nascimento.

 

Fase 2 - Avaliação do peso e estatura.

O aluno que é alvo da medição deve estar em posição antropométrica, caracterizada do seguinte modo:

- Posição vertical com braços pendentes ao lado do tronco e palmas das mãos em contacto com a face lateral das coxas, com os polegares voltados para a frente e os restantes dedos para baixo;

- A cabeça deve estar no plano de Frankfurt, que pode ser determinado adoptando os seguintes procedimentos:

- Localizar o ponto Orbitale, localizado na margem inferior da cavidade orbitaria;

- Localizar o ponto Tragion, situado ao nível do pavilhão auricular, por cima do osso;

- Considerar uma linha imaginária unindo os dois pontos definidos anteriormente. Essa linha imaginária corresponde, de forma quase exacta, ao eixo do olhar quando o indivíduo tem os seus olhos dirigidos para a frente.

- O indivíduo deve estar descalço, com os calcanhares unidos si e os dedos dos pés devem apontar para a frente.

 

 

 

 

 

Registo dos dados biográficos dos alunos:

Escola

Turma

Nome

Data de nascimento

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Avaliação da estatura dos alunos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Avaliação do peso dos alunos.

Um projecto

Grupo de Educação Física

Com o apoio de: